Lab

Neste espaço pretendemos promover a partilha de conhecimento sobre Felicidade nas Organizações, através da disponibilização de artigos científicos e casos de boas práticas organizacionais. Como repositório de conhecimento, o LAB está aberto à comunidade académica e empresarial que pretenda obter e/ou partilhar novo conhecimento. Para garantir a qualidade e seriedade dos conteúdos, todas as propostas de publicação serão previamente avaliadas pela equipa do Happiness Lab.

Happy place: como criar locais felizes: estudo de caso

Atualmente as regiões (cidades, bairros, outros) competem entre si para atraírem habitantes e turistas, garantindo, desta forma, a sua sustentabilidade. O presente projeto tem como objetivo validar a possibilidade de transformar um bairro não feliz, num bairro feliz, utilizando modelos conceptuais de locais felizes identificados na bibliografia, e conceitos de marketing e design urbano.

+

Marketing territorial e as happy cities: validação do modelo e proposta de plano de comunicação

Com base num conjunto de fatores, entre eles a globalização derivado em parte pelo desenvolvimento tecnológico, assisti-se a uma crescente concorrência entre as cidades pela captação de mais recursos. É com o objetivo de responder à forte concorrência entre as cidades que surge o marketing territorial.

+

Endomarketing: a relação entre a felicidade organizacional e a criação de valor para o cliente

As empresas buscam diferenciais no mercado por meio da valorização das pessoas que as integram. O ambiente interno de uma organização é um tema atual e fundamental para as organizações que buscam permanecer com êxito no mercado atual.

+

Economia da felicidade. Determinantes da felicidade e a influência das dimensões socioculturais. Um estudo multicultural

Portugal tem vindo a debater-se com uma profunda crise económica enquanto a Alemanha sobressai como potência económica na Europa. Este cenário impõe que se questionem possíveis razões para esta divergência.

+

Marketing territorial e as happy cities

Um dos novos desafios lançados pela globalização prende-se com a diferenciação dos lugares como combate à homogeneização. Se antes o turista escolhia um destino dentro ou próximo do seu país, hoje o leque de escolhas é global. Daqui surge o dito desafio da diferenciação dos lugares.

+

Análise de sentimentos de marcas através da metodologia offline e online (big data)

Esta dissertação tem como objetivo principal validar o conceito de brand sentiment analysis através de metodologias offline e online. Para tal, consideramos o estudo de caso da Ericeira. O estudo das cidades como marca é um tema de elevada relevância pois, a capacidade de atrair novos cidadãos ou turistas, é fundamental para a sua sustentabilidade. Para a realização do estudo aplicaram-se metodologias qualitativas e quantitativas. Através da aplicação de modelos existentes foram validados os fatores que caracterizam uma cidade como feliz.

+

O impacto da felicidade no trabalho nas iniciativas de family-friendly e em aspetos da produtividade nas empresas

Felicidade no trabalho é filosoficamente maravilhoso. Não há dúvidas de que o mundo almeja felicidade. Cada um a seu modo, cada um ao seu tempo, cada um de uma forma. Será que a felicidade do empreendedor é incompatível com a felicidade do colaborador? Será a felicidade geradora de caixa e capaz de melhorar a performance geral de uma empresa? Será que a cobrança, as metas, a pressão se sobrepõem à felicidade? Muitos trabalhos apresentam com profundidade estudos sobre a felicidade na organização, outros tantos sobre ações de family friendly.

+

Relação felicidade nos colaborados com hóspedes satisfeitos em Portugal

Cada vez mais existe uma necessidade pela busca da satisfação do cliente, para a conquista e a criação de valor. O turismo em Po rtugal não tem parado de crescer, gerando grande riqueza para o nosso país. Na hotelaria muitas das vezes nessa procura incessante as organizações acabam por focar-se no cliente, e esquecendo-se dos funcionários.

+

Felicidade Organizacional: Como avaliar o estado da Felicidade nas organizações

A felicidade é uma das emoções mais agradáveis para a natureza humana e o interesse pelo tema é extensível às experiências no local de trabalho. O estudo efetuado faz uma revisão teórica sobre o tema e conceitos da felicidade organizacional.

+

Excelência Organizacional

Este livro passará a ser a referência obrigatória em todos os cursos de Gestão, Economia, Pós-Graduações, Cursos para Executivos, no Instituto Superior de Gestão, Universidade Lusófona, Escola Superior de Administração Pública e ISLA. Pode tornar-se uma referência no ensino na gestão e da economia em Portugal.

+

Humanizar as organizações

A humanização das organizações não é, em si mesma, um tema novo - a história da gestão tem assinalado a concretização de inúmeras investigações, cujos resultados se expandiram e popularizaram em variados modelos, que têm vindo a demonstrar de forma crescente a existência de uma relação virtuosa entre o bem-estar das pessoas e a produtividade no trabalho.

+

The Oxford Happiness Questionnaire: a compact scalefor the measurement of psychological well-being

The Oxford Happiness Inventory (OHI, Argyle, Martin, & Crossland, 1989) was devised as abroad measure of personal happiness, mainly for in-house use in the Department of ExperimentalPsychology of the University of Oxford in the late 1980s. The development of the scale and someof its properties were reviewed by Argyle, Martin, and Lu (1995). The scale has been found tobehave consistently, and other workers have reported its use both in the UK (Furnham & Brewin,1990, Joseph & Lewis, 1998), in Spain (Sanchez, 1994) and the US A(Valiant, 1993)

+

International Studies of Management & OrganizationDeveloping an instrument to measure organizational happiness

This study aims identifying the factors promoting organizational happiness. In recentyears, research on organizational happiness has been increasing, due to its impact onorganizational productivity. So, understand the factors contributing for organizationalhappiness are significantly relevant, both, for the academy and organizations.

+

The job design happiness scale (JDHS)

The scientific concept of wellness is achieving particular relevance since the World HealthOrganization (WHO, 1946) defined health, not just through physical medical parameters,but, in a broader way, including the bio-psychosocial well-being perspective. The happinessconcept benefits from this perspective.

+

ESTILOS DE LIDERANÇA E FELICIDADE ORGANIZACIONAL. UM ESTUDO EXPLORATÓRIO COM DOCENTES

A liderança transformacionale transacionaltêm impacto na felicidade organizacional. Têm impacto na satisfação no trabalho, no envolvimento com a organização e o compromisso com ela, mais a transformacional do que a transacional, no caso dos docentes questionados neste estudo.Foram inquiridos 100docentes a lecionar no ensino pré-escolar eensino secundário.Concluiu-se que são mais felizes organizacionalmente quando liderados transformacionalmente, em concordância com a literatura e estudos anteriores.

+

An approach to the design of a scale for measuring happiness at work of Iberian companies

By reviewing bibliography on happiness at work, we may saythat from amanagement perspective,this subject is yet poorly explained. So, main reason toconduct this research was he few number of references on organizationalhappinessin the field of Business and Economics, despite it increasing importance.More specifically,the non-existenceof scales to measurehappiness at workin Iberia.

+

The ‘Happy Productive Worker Thesis’ and Australian Managers

The proper management of one’s feelings clearlylies along a complex (and therefore not simple oreasy) balanced middle path, requiring constantjudgement and continuing adjustment. (Peck1978: 169)This exploratory study investigates if there isan association between managers’ job-relatedaffective well-being (‘affective well-being’).

+